quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Mais do amigo de Kia

O que começou despretensiosamente, com a frase dita ao Carlos Cereto do Sportv, pode virar uma série.

Em sua apresentação como novo presidente corinthiano, Andrés Sanchez, sem saber que os microfones já estavam ligados, soltou a seguinte pérola para o seu vice, Heleno Maluf:
"Tá foda hein Heleno!"

Mas o melhor ainda está por vir. A edição paulista do Diário Lance! traz na capa o ilustre presidente dando um "selinho" na apresentadora Monique Evans.

Baladeiro. Esse é um dos epítetos de Andrés.

Mas vamos ao que interessa.

No mesmo Lance!, tem as promessas de Andrés. O primeiro ato é:

“Tem é que dar um choque de gestão mesmo. Fechar a torneira para interromper a sangria. Convocar os credores e discutir a dívida. Será que essas dívidas não foram provocadas por superfaturamento? Não sei! É preciso verificar. Se houve, é caso de polícia”, afirmou Sanchez ao L!.

Peraí, se ele desconfiava que as dívidas foram provocadas por superfaturamento, por que não falou nada antes?

Tudo bem, ele deve ser uma pessoa tímida, que não gosta de aparecer e, por isso, não se manifestou.

Sobre o modelo de gestão exercido em seu mandato ele disse:

“Vamos contratar profissionais do mercado, independentemente de clube, para poder cobrar. Esse profissional tem de se dedicar 24 horas por dia ao clube. E tem de responder por seu setor. Por isso, vou me afastar da minha empresa. Porque pretendo ser presidente e quero me dedicar inteiramente ao clube”. Isso foi dito no início de setembro. Antes da eleição, portanto.

Parece que mudou de opinião. Vejo nos excelentes Blogs de Vitor Birner e do Paulinho - voce encontra ambos nos favoritos deste blog, logo ao lado - que ele já nomeou boa parte desses profissionais.

O novo vice jurídico é Sérgio Alvarenga. Corinthiano que sempre disse que, trabalharia no clube de graça. E agora, é de graça ou é remunerado?

Outro indicado hoje é Raul Correa da Silva. Cuidará das finanças corithianas. Ou seja, terá muito trabalho.

O que chama a atenção é a proximidade de Raul com Kia. Conforme os blogs citados acima, ele chegou a viajar para Londres afim de se encontrar com o mafioso iraniano.

E, na volta, tentou convencer o Paulinho, de que Kia não era bandido, era só um esperto negociante.

Se ouvimos isso de um torcedor comum, que tem na paixão pelo seu time sua razão de viver, vá lá, é compreensível. Mas se ouvimos isso de um renomado auditor financeiro, é perigoso.

São essas relações perigosas que mostram nas mãos de quem o Corinthians está.

Como diria um famoso apresentador de tv: "o fundo do poço é logo ali!"

Um comentário:

ronan disse...

No fim desse auê todo, quero que haja punição aos culpados. O que tomou espaço na imprensa essa caso MSI/corinthians é de dar no saco. Futebol que é bom, ficou em 2º plano para grande parte dos espaços esportivos. Uma falta vergonha e de ética sem precedentes e brutal desrespeito com os torcedores de outros clubes.