sexta-feira, 16 de maio de 2008

Lição de vida da sexta: superação

A semana foi bem corrida por causa de alguns compromissos meus.

Nesta sexta, por exemplo, estive no Congresso de Medicina Esportiva da Sociedade Paulista de Medicina Esportiva.

Lá uma palestra em especial chamou a minha atenção: a da médica Ana Boscarioli, a primeira mulher brasileira a escalar o Monte Everest.

Superação, determinação e vontade foram, sem dúvidas, as palavras mais usadas por ela para relatar o feito.

Na mesma linha superação, hoje a Corte Arbitral do Esporte reviu a sentença da IAAF que não permitia que o sul-africano Oscar Pistorius, que tem as duas pernas amputadas, tentasse o índice para as olimpíadas de Pequim. Até que enfim!

A notícia é do Globoesporte.com:

O atleta paraolímpico sul-africano Oscar Pistorius, também conhecido como "Blade Runner", ganhou a apelação no Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), nesta sexta-feira, sobre uma eventual participação nos Jogos Olímpicos de Pequim. Em janeiro, a Federação Internacional de Atletismo (Iaaf, em inglês) proibiu Pistorius, que utiliza próteses no lugar das pernas, de lutar por uma vaga na competição.

- O TAS admitiu a apelação feita pelo atleta sul-africano Oscar Pistorius contra a decisão do Conselho da Iaaf em 14 de janeiro - informa o TAS.

O Conselho da Iaaf vetou a presença de Pistorius em competições organizadas sob as regras da entidade, com base nos estudos de um cientista alemão, que considerou que o corredor dos 400m rasos obtém vantagens com suas próteses de fibra de carbono.

Um mês mais tarde, Pistorius apresentou um recurso contra a decisão ao TAS, afirmando se basear em um "relatório muito sólido", graças aos estudos realizados por sua própria equipe de cientistas.

Segundo ele, "vários institutos americanos (...) responderam que não estavam obrigatoriamente de acordo com os resultados dos testes do laboratório alemão".

Atleta tem maiores chances no revezamento 4 x 400m

Para participar dos Jogos Olímpicos de Pequim em agosto, Pistorius deverá obter o índice olímpico imposto pela Iaaf: 45s95, ou 45s55 se outro sul-africano correr abaixo desta marca. O melhor resultado de Pistorius até agora é de 46s46.

Em entrevista coletiva em Milão, na Itália, o sul-africano reconheceu que será difícil conseguir a classificação na prova na qual é especialista.

- Agora posso tentar alcançar meu sonho de participar das Olimpíadas. Se não for em Pequim 2008, será em Londres 2012.

Para as Olimpíadas de Pequim, as maiores chances do atleta estão no revezamento 4 x 400m. Pistorius poderá fazer parte da equipe da África do Sul se conseguir um dos quatro melhores tempos da distância em seu país. Em 2007, ele foi o segundo colocado dos 400m no campeonato nacional.

- Fiquei atrás na preparação (desde janeiro, não podia participar de competições da Iaaf) e os dois meses que faltam para Pequim não são suficientes para conseguir uma classificação (individual), ainda que eu trabalhe duramente - admite Pistorius.

2 comentários:

carlos pizzatto disse...

Não se pode confundir as coisas. Atleta para-olímpico deve disputar Para-Olimpíada. E ponto.

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Tecnico em Informatica. Daienne