quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Com dificuldade, mas venceu!

O Inter não apresentou o futebol que todos esperavam. Foi um time nervoso, que mal chegou ao gol do Al Ahly (na verdade, só 2 vezes), mas fez o necessário para estar na final.

Ano passado o São Paulo já havia sofrido na semifinal mas, naquele jogo, o São Paulo foi melhor na maior parte, além dos três gols, teve outras chances. No final, se retraiu mais por medo de perder, como diz o Luxemburgo, porque a pressão por esse título entre os Tricolores é enorme.

O Inter vinha bem, começou marcando no ataque mas, aos poucos, foi parando. Só Fernandão jogava. Alex, Iarley e Fabiano Eller estiveram irreconhecíveis. Até o Abel, um cara extremamente vibrante, não estava com cara de Abel.

Eu não esperava que o Inter sofresse por um único motivo: vinha jogando no brasileiro. Nada me tira da cabeça que, o São Paulo só sofreu para ganhar o Mundial no ano passado porque faltou ritmo de jogo ao time. O São Paulo campeão da Libertadores atropelaria Al Ittihad e Liverpool. Outra coisa, o Al Ittihad jogou com três atacantes para eliminar a sobra (Lugano) do São Paulo, também por isso o time sofreu. E, por isso, Autuori cogitou mudar o esquema na final. Por causa dessa falta de ritmo, que o São Paulo após marcar o primeiro contra o Liverpool se fechou na defesa.

O Inter não estava assim, por isso estranhei a dificuldade enfrentada hoje. Não pode dar o espaço que a defesa do Inter deu. Edinho e Fabiano Eller, ainda quiseram demonstrar a "força" e agrediram os atacantes do Ahly. Sorte que o juiz não viu.

Para o possível jogo contra o Barcelona, o Inter não tem que ter medo. A defesa espanhola não é nada disso. Se marcar pressão, eles também falham. O problema está na saída para marcar o Gudjohnssen e deixar espaço para a entrada de Ronaldinho, Deco, Xavi e companhia bela. E isso aconteceu hoje, contra o Ahly.

A chave para a vitória no domingo é a marcação. De preferência, por pressão já no campo de ataque. Tem também as bolas nas costas dos zagueiros. Todo mundo sabe que a defesa do Barça joga em linha, uma bola bem enfiada por Fernandão ou Alex para o Pato ou para o Iarley, pode fazer uma enorme diferença. Eu sou mais Inter!

-------------------

Acabou agora a decisão do Apertura na Argentina. Boca 1 x 2 Estudiantes, de virada. O Boca "pipocou". Incrível. Palermo marcou para o Boca. Sosa e Pavone marcaram para o Estudiantes.

É o quarto título dos "Pinchas", que também é tri-campeaõ da Libertadores e campeão do Mundo. Tudo isso com Juan Ramón Verón, La Bruja. Agora, Juan Sebastián Verón, La Brujita, conquista um título com a equipe que consagrou seu pai e que o projetou. Ele já havia ganho um título, mas o da segunda divisão.

E a escrita continua, o Boca, como o São Paulo, não consegue ser tri-campeão seguido de nenhum campeonato. E o técnico Ricardo LaVolpe disse no gramado que entrega o cargo para a diretoria.

O título também é especial para Simeone. O ex-volante da seleção argentina, ganhou seu priemiro título justamente na casa do seu time do coração, o Racing, porque a "final" foi jogada em campo neutro.

E o Estudiantes será uma pedreira na próxima Libertadores. O São Paulo já sofreu esse ano, ano que vem a coisa será bem pior.

------------------

Assisti hoje a Fenerbahçe 2 x 2 Eintracht Frankfurt. O time comandado por Zico só precisava de um empate para se classificar à próxima fase da Copa Uefa. E saiu perdendo por 2 x 0. E jogava muito mal. Lugano, no 4-4-2, esteve muito abaixo do que estamos acostumados a ver. Alex idem. No final o time turco conseguiu a classificação.

Um comentário:

Ruben Dantas disse...

É, vai ser duro contra o Barça. Parabéns pelo blog, vou indica-lo no meu. Espero que faça o mesmo. Um abraço.