segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Luis Fabiano de volta à seleção

O "Fabuloso", como era chamado na época de São Paulo foi convocado após contusão de Afonso.

Ele é o artilheiro do Sevilla nesta temporada, com 14 gols, sendo 8 no campeonato espanhol.

Era mesmo estranho Afonso ser convocado e Luis Fabiano não. ALiás, é a primeira vez que ele é chamado após Dunga assumir o cargo.

Luis Fabiano é anos-luz melhor que Afonso. Seu único porém sempre foi a sua vulnerabilidade à provocações. Esquentado, cansou de sair no tapa com adversários.

Já faz um tempo que não se mete em confusão - a última foi com o lateral Diogo, do Zaragoza.

A convocação é justa. Ele pode ser o 9 que falta ao time. Luis marcou 14 gols em 15 jogos nesta temporada.

E ao marcar um gol contra o Villarreal, ontem, igualou a marca histórica de um dos maiores goleadores da história do Sevilla, o austríaco Anton Polster, marcando 7 gols em cinco partidas consecutivas pelo Campeonato Espanhol.

- Não tinha um momento melhor do que esse para acontecer essa convocação e agradeço muito à comissão técnica por me dar essa chance. Vivo meu melhor momento no Sevilla e estou indo com muita vontade de trabalhar e buscar meu espaço na Seleção -, disse o atacante.

E o melhor é o Luis, se jogar, terá como palco o estádio onde mais brilhou até hoje: o Morumbi. Quando atuou no São Paulo, Luis era, de longe, o maior ídolo ao lado de Rogério Ceni. A Libertadores de 2004 mostrou isso. Era uma coisa monstruosa o grito, uníssono, de 70 mil pessoas: Luís Fabiano.

-
É um dos sonhos da minha vida voltar ao Morumbi com a camisa da Seleção. Não esperava que isso pudesse acontecer nesse momento e por isso estou muito feliz -, falou Luis Fabiano, que, depois da eliminação do time para o Once Caldas, viu sua popularidade degringolar, assim como seu futebol. Vendido no mesmo ano ao Porto, não rendeu o que dele se esperava.

Sempre quando um dos 4 grandes clubes paulistas - Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo - vivia às turras com os gols, surgia seu nome para reforçá-los. Nada se concretizou e ele rumou para o Sevilla.

Hoje está muito bem lá. Enquanto Pato não é chamado, Luis Fabiano pode muito bem conquistar a titularidade do comando de ataque da seleção. Recuperando assim o tempo perdido. Por todos esses percalços acima descritos, Luis Fabiano perdeu a chance de ir à Copa da Alemanha. A continuar assim, estará em 2010.

2 comentários:

carlão disse...

Melhor que Afonso.

E que Love.

Juntos.

Seigi disse...

Thiago, estou contando os dias p poder gritar novamente "Luis Fabiano" com o Morumbi lotado, como vc bem colocou na Libertadores de 2004, era algo monstruoso as 70 mil vozes gritando o nome do "Fabuloso", ele q antes de sair do tricolor disse numa entrevista q era uma sensação inigualavel qdo se preparando p subir no gramado, no vestiario ainda, colocando o material ouvia a torcida gritar seu nome....
abraço!