sexta-feira, 20 de junho de 2008

A verdade sobre o afastamento de Felipe e William

O primeiro afastado foi o goleiro Felipe. Há muito tempo ele estava na berlinda. Desde a problemática renovação de contrato dele, para ser exato. Na época o diretor de futebol do Corinthians, Antônio Carlos, queria negociá-lo com o Fluminense. Só não o fez por temer uma reação indignada da torcida. Mas Felipe ficou de sobreaviso, na primeira oportunidade, seria "fritado".

E não pensem que a fritura foi por causa da falha do goleiro no segundo gol do Sport, o gol do título pernambucano na Copa do Brasil. A coisa é mais grave.

Antes do jogo contra o Sport, no Recife, o zagueiro William (capitão do time e homem de confiança do Mano, desde os tempos de Grêmio) e o goleiro Felipe tiveram uma conversa com o técnico Mano Menezes. Eles disseram que a melhor tática para o jogo era atacar o Sport desde o início. Disseram também que se o Corinthians jogasse atrás não aguentaria a pressão pernambucana. Mano bateu o pé e falou que o time jogaria recuado.

No intervalo, já com os 2 x 0 para o Sport, o vestiário corinthiano ferveu. William e Felipe foram para cima de Mano Menezes, para tirar satisfação com o técnico sobre o ocorrido. Como que dizendo "e aí, e agora? sua tática não deu certo".

O primeiro afastado foi Felipe, na semana passada. Quando Júlio Cesar jogou - e bem - contra o Palmeiras no Paulistão, a diretoria do Corinthians soltou foguetes. A transferência do goleiro é vista com ótimos olhos pela diretoria do time.

Nesta semana foi a vez de afastar o segundo jogador que peitou Mano Menezes: William. Só mesmo isso explica o fato do técnico de afastar do time seu capitão e homem de confiança que, ainda por cima, foi o melhor em campo na partida contra o Brasiliense.

Um comentário:

gerson disse...

não sabia disso, a coisa ficou feia mesmo...