sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

À mulher de César não basta ser honesta, tem que parecer honesta

Há duas semanas pipocou a informação de que Adriano estava conhecendo - e bem - a noite de São Paulo. Bebendo e, principalmente, fumando. Normal para qualquer jovem. Mas não para aqueles que dependem do corpo para sobreviver.

Fui checar com algumas pessoas e essas disseram ter a mesma informação. Mas nada de concreto.

A vida pessoal dos atletas só deve importar caso interfira no rendimento profissional deles. O rendimento de Adriano, após um começo promissor, caía vertiginosamente.

Na edição de agosto do ano passado, Placar publicou uma excelente matéria falando dos problemas do atacante. Sobre sua paixão pela noite, Gilmar Rinaldi, seu procurador, diz: «Não tem jeito. Já falei muito sobre isso com ele. Ele sai mesmo. Sabe que prejudica sua imagem, mas garantiu que vai melhorar.»

As confusões começaram a aparecer no carnaval, quando ele "flertou" com a modelo do minúsculo tapa-sexo de 4 cm. Enquanto isso, sua ex (ou atual) anunciou que está grávida. Isso mexe com a cabeça de qualquer um, evidentemente.

O incidente da camiseta no desembarque da delegação na manhã de ontem, seria um ato falho, não fosse o histórico do São Paulo. O clube puniu, em 2005, o atacante Diego Tardelli, pelo mesmo motivo.

O atraso na manhã desta sexta pode ter sido só mais um lapso - afinal, Borges e Hugo também se atrasaram. Mas pode ser consequência de mais uma noite de balada do atacante.

Na hora que que estava deixando o CCT, Adriano foi abordado por Marco Aurélio Cunha. O superintendente do São Paulo relata a conversa: «Ele disse que estava chateado, com um problema pessoal e queria ir embora.»

O tal problema pessoal seria um pequeno acidente automobilístico no qual o atacante se envolveu, às 5 horas da manhã desta sexta, na rua Pamplona, região nobre da cidade.

Tudo isso somado gera um grande desconforto para qualquer pessoa. Ainda mais se paira sobre você uma enorme dúvida sobre seu "retorno" ao futebol.

Há alguns dias atrás falei com Marco Aurélio Cunha sobre o Carlos Alberto, para uma matéria sobre a doença do meia para a edição de março da revista Placar. Uma frase dita por Marco me chamou a atenção. «O Carlos Alberto é um menino muito bom. Está se esforçando muito para ficar bom e se recuperar. Mais que o Adriano.»

É mais ou menos aquela coisa da mulher de César: «Não basta ser honesta, tem que parecer honesta.»

No momento, para o Adriano, não basta se recuperar, tem mostrar que está a fim de se recuperar. Para que isso aconteça, ficar longe das baladas é obrigatório.

Porque, como diz um amigo: «nessas horas [ruins] tudo contribõe [sic]»

3 comentários:

Rena disse...

Vou reproduzir o msm comentário que postei no blog do birner!


Birner, deveria ter escrito isto para vc a um tempo, mas achei que seria uma fase e que iria passar logo, mas com o incidente de hoje vou escrever o que sei.

Moro em sao paulo, no itaim bibi, em uma famosa rua, perto do Mc Donalds da Faria lima. Descobri a umas 3 semanas atras q o adriano eh meu vizinho, mora praticamente na frente da minha casa, a 50 metros de distancia. Descobri isto porque os seguranças do meu predio (empresa tercerizada) sao da mesma empresa do predio de adriano. Ele me disse que o edmundo, morava no msm predio e agora alugou para adriano, ja que voltou para o vasco, consequentemente para o Rio.
Lembrei no msm momento que um grande amigo do meu pai mora no msm predio. Fiz o que meu irmao palmeirense tambem fez, liguei para este amigo e pedi para deixar uma camisa do tricolor com ele, para o adriano autografar. E neste bate papo ele me disse, que diferentemente do Edmundo, adriano fazia muito barulho, tocando musicas altas ate 3, 4 da manhã, que frenquentava a piscina até 2 da manha com varias mulheres e amigos.
Até ai tranquilo, a casa eh dele, ele faz o que bem entender. MAS, meu irmao estava ah 2 semanas atras em uma balada chamada Hotel, na rua mario ferraz, muito perto da minha casa. Ao entrar na balada viu adriano no camarote, com um copo na mão e 2 garrafas de wisk sobre a mesa. Meu irmao saiu desta balada as 4 da manha, e o "imperador" ainda estava presente.
Quarta feira da mesma semana, um grande amigo meu, foi na msm balada e lá estava adriano novamante!

O estipim se deu quando, domingo, após o jogo contra o noroeste, meu irmao foi na mesma balada e quem estava lá? Hahaha (é triste) Adriano, com o msm copo na mão, e com 2 garrafas de wisk sobre a mesa. Lamentável...

Depois desta cena, eu liguei para o amigo de meu pai e desisti de pedir o autógrafo de Adriano. Suas atuações são pífias, ele acabou com a movimentação que nosso time tinha. E o pior é que muricy não tira ele do time, msm estando jogando pior que os outros companheiros de ataque.

Bom, é só, e tomara que eu me arrependa de ter desistido do autográfo.

um grande abraço, renato.

Anônimo disse...

Que show de matéria e que aula de bom jornalismo!
Apontou os fatos e evidências que, como jornalista lhe cumpria apurar, sem apontar o dedo, sem deduzir, sem julgar, sem insinuar.
Sem querer espetacularizar a matéria.
Parabéns ao Thiago!

abs
Damião - colaboradores spnet

SAOPAULINARP disse...

Oii tudo bem??
Estava procurando blogs e encontrei o seu ehehehhe..

ta show por aki viu..
adorei mesmo...lindooo

=]

quanto tiver um tempinho passa lah no meu..sera um prazer ter sua presença por lah....

=]

Beijossssss